Publicidade

Denúncias de violência contra a mulher agora, podem ser feitas via WhatsApp

29 de outubro, 2020 às 15:38 - por Amanda Krohn- Redação Visão do Vale, estagiária supervisionada por Mariana Santos

Mudança já está em vigor. (Foto: @mundo dos advogados)

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos anunciou o aprimoramento do serviço de denúncias para casos de violência contra a mulher, que foi lançado hoje(29).  A Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência — Ligue 180 —, que atualmente atende por telefone, também vai começar a receber denúncias pelo aplicativo WhatsApp, através do número  61 99656-5008.  Após resposta automática, o(a) denunciante será atendido(a) pela equipe da central única dos serviços. A denúncia recebida será analisada e encaminhada aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização em direitos humanos.

A promotora de Justiça do Ministério Público de São Paulo Gabriela Mansur lembrou que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) já confirmou a validade probatória de prints, vídeos e fotografias com marcas das agressões. “Para nós, que somos os destinatários [da denúncia], como promotores de Justiça é muito importante esse convencimento e esses instrumentos para que nós possamos de fato trazer justiça proporcional à gravidade dos fatos”, afirmou. Ao destacar que o Brasil é o quinto país do mundo no ranking de violência contra a mulher, Gabriela Mansur alertou que mulheres brasileiras que sofrem violência no exterior também podem denunciar pelo WhatsApp ou pelo número 180.

Canais

Além do WhatsApp, os canais de atendimento do Disque 100 e do Ligue 180 podem ser acessados pelo site da Ouvidoria e por outros aplicativos como o Direitos Humanos Brasil. Em todas as plataformas, as denúncias são anônimas e recebem um número de protocolo para que o denunciante possa acompanhar o andamento. Qualquer pessoa pode acionar o serviço, que funciona diariamente, 24 horas, incluindo sábados, domingos e feriados. A delegacia online também aceita denúncias (anônimas ou não) de violência contra a mulher, na opção de registro geral.

O serviço cadastra e encaminha os casos aos órgãos competentes. Além de denúncias, os canais disponíveis também podem ser acionados para esclarecer dúvidas e registrar reclamações e sugestões sobre o serviço.

De forma gratuita, o Centro Jacobina presta assistência e acompanhamento psicossocial e jurídico, visando a prevenção e a interrupção da violência contra a mulher. (Divulgação Scom / PMSL)

Canais de denúncia em São Leopoldo

Em São Leopoldo, a violência contra a mulher pode ser denunciada na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, cujo atendimento é realizado na rua São Paulo, 970, centro, das 8h às 17h30, de segunda à sexta. O contato também pode ser feito através do número de whatsapp (51)98444-060 ou pelos telefones (51) 99591-3333 e (51) 99591-3334. Nos horários em que a DEAM não estiver funcionando, a denúncia pode ser feita xxxx.

O Centro Jacobina presta atendimento jurídico e psicossocial à mulheres vítimas de violência, e, se necessário, encaminha a vítima para o Abrigo para Mulheres em Situação de Violência. O atendimento é feito através dos número (51)3592-2184 e (51) 3566.1777, e pelo whatsapp (51) 9788-3212, das 8h às 17h, de segunda à sexta-feira. Para casos urgentes, o atendimento é feito de forma presencial, na rua São Paulo, 970, centro, das 8h às 14h, de segunda à sexta-feira. Em caso de emergência, ligue para 190 (Brigada Militar) ou 153 (Guarda Civil).

Redação do www.visaodovalesl.com.br/Fonte: Agência Brasil e Prefeitura de São Leopoldo 

Publicidade

[RoyalSlider Error] Slides are missing.

2016 - Todos os direitos Reservados