Publicidade

São Leopoldo rumo aos 200 anos com os pés no chão – Artigo de Ibânes Mariano

04 de janeiro, 2021 às 14:00 - por Ibânes Mariano

São Leopoldo caminha para seus 200 anos de fundação.  Fato que se dará ao final da nova gestão que foi empossada há poucos dias. Por sinal, uma posse virtual, pela primeira vez na história da cidade, situação motivada pelo agravamento da pandemia do Coronavírus e possibilitada pelas mídias sociais, que produzem estas interações à distância.

Até aqui, mesmo ocorrendo em meio ao feriadão de ano novo, foi a sessão mais vista pelo povo leopoldense. Destaque-se que sua atenção correu os limites do município, visto que, junto aos eleitos, figurava o Prefeito Ary Vanazzi (PT) que conquistou a cadeira pela quarta vez e, neste mandato, terá como Vice-prefeito Ary Moura (PDT), com o rol de partidos da aliança vencedora, além de PT e PDT também estão PSB, PTB, PCdoB e Republicanos. Este fato é incomum na história capilé e quebra um jejum de quase um século em que a mesma figura pública não repetia tantas vezes a mesma cadeira. A liderança de Vanazzi há muito coloca o nome de nossa cidade no mapa do Brasil, visto o reconhecimento que o Prefeito tem.

Na mesma sessão foram empossados os 13 vereadores, 11 homens e duas mulheres, sendo que os partidos que se somaram a aliança governista elegeram nove vereadores. A vereadora Ana Affonso (PT) foi conduzida pelos colegas à Presidência do Legislativo Municipal, acompanhada do vereador Tarzã Correa (Republicanos) na vice-presidência e da vereadora Iara Cardoso (PDT) na secretaria. O tema central da posse foi a VACINA!

Das maiores e mais populosas economias do mundo, o Brasil é o único país que tem um Presidente que age como garoto propaganda do vírus. Bolsonaro é um negacionista convicto e não faz questão de disfarçar sua visão sobre este infortúnio mortal que afeta milhões de brasileiros, nos colocando em segundo lugar em número de mortes no mundo. As mensagens trocadas do Presidente confundem a cabeça da população, pois ele descumpre leis, incentiva aglomerações e defende tratamento precoce, como saída fantasiosa para a situação.

É triste ver que o Governo Federal desorganiza o país no combate a esta doença, pois nem seringa consegue comprar. Ademais, estamos perdendo para os países da América Latina, tendo lições de combate ao vírus do pequeno Uruguai e o Paraguai. O Brasil se tornou um pária mundial e não se surpreendam se logo não será exigida carteira de vacinação para cruzarmos fronteiras vivas que temos com muitos de nossos vizinhos.

O Prefeito Ary Vanazzzi, contrário a ideologização da vacina e a politização da prescrição de remédios, juntamente com outros prefeitos, foram recentemente a São Paulo para iniciar acordos com os maiores institutos do país, para que não faltem vacinas aos leopoldenses.  A vida em primeiro lugar é o lema que rege o governo municipal e, em função disto, atendemos primeiro os mais necessitados (antes do auxílio emergencial), organizando o sistema local de saúde e, principalmente, o Hospital Centenário, que, por sinal, ganhou destaque nacional ao criar protocolos de atendimento aos doentes da Covid.

Duas datas tem importância cabal para esta gestão que assume nossa cidade: a data da primeira dose da vacina (se Bolsonaro não atrapalhar mais o Brasil) e o 25/07/2024, dia que comemoraremos os 200 anos de fundação de São Leopoldo!

Serão muitos os desafios e dificuldades a superar, mas as amarrações, os propósitos e a busca de recursos para realizarmos o melhor por nossa cidade já estão sendo encaminhados. Não descansaremos, visto que as ações que serão anunciadas em breve deverão elevar São Leopoldo a um patamar melhor, diferentemente do início de 2016, momento que tivemos que recuperar a capacidade da cidade através da reorganização da gestão pública (que estava destruída); das finanças municipais que apresentavam um déficit sufocante; dos salários atrasados… entretanto a dedicação e o trabalho incansável da gestão que findou há poucos dias fez com que a administração que se inicia tenha mais condições de produzir mais entregas para a população, principalmente na saúde pública. Não podemos deixar de frisar que, apesar do atroz sub-financiamento com o qual convive o Hospital Centenário, tivemos a primeira eleição em mais de 20 anos em que a casa de saúde não foi pauta negativa nas eleições municipais.

No entanto, também precisamos considerar o quadro em que se encontram o Rio Grande do Sul, com as erráticas ações do governador no combate ao Coronavírus e, no Brasil, com o violento desmonte do pouco de estado de bem estar social que tivemos nos governo Lula e Dilma. No país há um cruel processo de concentração de renda, de redução da massa salarial, de consequente aumento da exclusão social e de desregulamentação do trabalho – situação que joga milhares a própria sorte.

O Brasil, de país que havia alcançado o futuro, destaque mundial, passou a ser um pária internacional. Sabemos que todo este infortúnio vai atingir em muito a vida nos municípios, mas nosso município tem um governo preparado, com visão estratégica da importância de nossa cidade no contexto regional e nacional e com um Prefeito que conhece e é reconhecido por seus cidadão e suas cidadãs. Vanazzi sabe onde aplicar os parcos recursos para melhorar a vida da população, mas, não esqueçam: a maior parte do bolo orçamentário fica centralizada em Brasília e o governo federal tem pouco a apresentar para os municípios, pois mesmo o auxílio emergencial foi obra do Congresso Nacional.

Com todos estes aspectos, mesmo sabedores destas pedreiras que enfrentaremos, não mediremos esforços para fazermos o melhor por São Leopoldo, porque as bases locais para que a cidade tenha um governo melhor já estão estabelecidas. Acompanhemos.

Ibanês Mariano é Historiador

Publicidade

[RoyalSlider Error] Slides are missing.

2016 - Todos os direitos Reservados