Com sete anos de Brigada Militar, Alves estava no Pelotão de Operações Especiais do 23º BPM, responsável pelo policiamento na região de Santa Cruz do Sul. Ela ainda fazia mestrado em Fisioterapia.  Ela era de alto padrão técnico,  declarou o comandante da BM no Vale do Rio Pardo, coronel Valmir José Reis. Marciele foi a primeira mulher policial a morrer em serviço desde 1986, quando a BM passou a permitir o ingresso delas na corporação.